Ads Top

FFMS convoca reunião extraordinária e Grupo A deve começar quarta com União x Operário

A FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) convocou para as 14h desta segunda-feira (22) uma reunião extraordinária com presidentes de clubes participantes da Série A do Estadual para resolver os problemas causados pelos adiamentos de jogos do Grupo A.

Divulgação/OFC
Sem o Morenão disponível na primeira e segunda rodada da competição e a não aceitação do Costa Rica em inverter o mando de campo no primeiro turno, Operário, Comercial, Novo e União ainda não conseguiram estrear na competição em 2018.

Na sexta-feira (19), em encontro com os quatro clubes da Capital, ficou definido que os duelos adiados seriam repostos em uma "maratona" de jogos nas próximas semanas, alguns deles com portões fechados no Morenão, e outras no interior do Estado.

É o caso do duelo União x Operário, que deveria ter acontecido na quarta-feira (17) passada no Morenão. O jogo, conforme a diretoria operariana e a assessoria do clube, será realizado em Rio Brilhante, na noite da próxima quarta-feira (24), com transmissão da TV Morena.

Porém, essa data, assim como a dos outros três jogos adiados - Comercial x Costa Rica, Novo x União e o Operário x Comercial - ainda não foi confirmada pela FFMS, que deve fazer as alterações na tabela após o encontro marcado para a tarde desta segunda-feira.

Conforme apurado pelo MS Esporte Clube, os duelos que forem ter transmissões da TV Morena deverão ser remanejados para o interior do Estado, já que a emissora não quer transmitir duelos sem torcedores. Os que não forem transmitidos, serão realizados na Capital, com portões fechados.

Além disso, há a perspectiva de liberação do Estádio das Moreninhas em breve, mas não a tempo da reposição dos adiamentos. Segundo o vice-presidente da FFMS, Marco Tavares, os laudos devem ser entregues em aproximadamente 10 dias ao MPE, passando então por análises dos promotores.

Outro hiato que deve ser resolvido só nesta segunda-feira é a realização do primeiro Comerário. A diretoria alvinegra luta para conseguir realizar o jogo na Capital, já que pretende usar a renda para completar a folha de custos do clube. Porém, a tendência é que ele ocorra também no Interior.

Ano passado, a renda bruta da partida, conforme o borderô, foi de R$ 68 mil - a renda líquida, já descontando todas as taxas, foi de R$ 40 mil. Essa foi a partida com maior arrecadação na bilheteria durante toda a competição, vencida pelo Corumbaense.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.