Ads Top

Corumbaense bate o Operário por 1 a 0 no Arthur Marinho e reverte vantagem do empate na final

Após uma sequência de quatro empates, o Corumbaense venceu na hora certa e reverteu a vantagem do empate que pertencia ao Operário, derrotado por 1 a 0 neste domingo (1) no jogo de ida da final do Estadual 2018. A partida aconteceu em Corumbá, no estádio Arthur Marinho, enquanto a volta será no próximo domingo (8), às 15h, no estádio Morenão, em Campo Grande.

Divulgação/OFC
Com cinco minutos de bola rolando, o volante Mutuca assustou os visitantes com chute que passou muito perto do gol. Um minuto depois foi Agnaldo quem levou perigo em chute forte, mas a bola bateu na zaga e saiu para fora. O time de Corumbá seguiu melhor.
Aos 13, o camisa 9 do Corumbaense, Jorginho, entrou na pequena área e ficou cara a cara com o goleiro Pereira, que se esticou todo para fazer a defesa e salvar os operarianos. Na sequência, o Galo da Capital subiu em contra-ataque e Igor Vilela assustou Guilherme Santiago.

A pressão do Carijó seguiu grande, até que aos 16 minutos em falha na saída do Operário, Mutuca ficou com a bola e avançou, fintou com facilidade Rodrigo Arroz e bateu para abrir o placar. Nos lances seguintes, os campo-grandenses conseguiram equilibrar o jogo.

Perto do fim do primeiro tempo, o atacante Jorginho apareceu bem de novo e saiu no mano a mano com Rodrigo Arroz na grande área. O zagueiro foi fintado com facilidade de novo e Pereira foi quem se esticou todo para salvar outra vez o Galo e evitar o segundo gol.

Já no retorno para a etapa final, o Operário voltou com Juninho Carioca no lugar de Luiz Miguel, mas seguiu com a tática inicial usando três zagueiros. O time ganhou mais movimentação na frente e, ao contrário do primeiro tempo, teve mais posse de bola nos primeiros dez minutos.

Porém, por volta dos 20 minutos, a partida voltou a ficar equilibrada, com leve vantagem do Corumbaense, que além da vantagem no placar, encontrava mais espaços que o adversário para avançar. Apesar disso, o jogo ganhou um clima mais morno.

Aos 24 minutos, o lance mais perigoso até então saiu dos pés do lateral direito Da Silva, que pegou sobra de bola próximo do bico da grande área e soltou um forte chute que assustou Guilherme Santiago e os torcedores locais. Outra chance surgiu apenas aos 35, em cobrança de falta alçada na frande área e cabeceada por André Paulino. Guilherme se esticou e espalmou.

No fim do jogo, o Operário pressionou mais e assustou com Juninho Carioca, chutou e a bola passou perto da trave. Logo depois, em contra-ataque rápido, Valdinei saiu livre na frente, mas a defesa conseguiu se recuperar e tomar a bola.

Já nos acréscimos, aos 46, o Operário assustou outra vez. Após cobrança de falta, a bola bateu na barreira mas a zaga do Corumbaense não conseguiu afastar. A bola sobrou para Juninho da direita, ele cortou para dentro e chutou cruzado, tirando tinta da trave.

Assim, acabou o primeiro duelo da final, 1 a 0 para o Corumbaense. O jogo foi acompanhado por 4.670 torcedores, sendo 3.184 pagantes, segundo maior pagante da competição até aqui. A renda total foi de R$ 32.840, a maior de 2018 em Mato Grosso do Sul.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.