Ads Top

Com Rodrigo Gral na gerência, Operário anuncia ex-craque de Felipão como treinador para 2019

O Operário já tem treinador para 2019: Arilson, ex-meia de Grêmio, Inter e Palmeiras, além de Seleção Brasileira, foi anunciado pelo vice-presidente Nelson Antonio da Silva na noite desta sexta-feira (9), em mensagem enviada para o grupo oficial da torcida operariana do WhatsApp. A contratação contou com atuação direta de Rodrigo Gral, que será gerente de futebol.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF
A carreira de Arilson como técnico de futebol teve início recente, mas já soma alguns títulos e uma demissão. Após atuar em categorias de base, ele assumiu o comando do Aimoré (RS) no final de 2017, onde conquistou em quase um ano o acesso para a primeira divisão gaúcha em 2018, além do vice-campeonato da Copa FGF 2017 e uma vaga na Copa do Brasil.

Outro feito de Arilson foi a conquista com a Seleção Gaúcha do Copa de Seleções Estaduais Sub-20 de 2017, competição organizada pela CBF. Porém, os maus resultados de Arilson na Copa Wianey Carlet deste ano atrapalharam o trabalho dele no clube Aimoré e, após uma derrota em casa por 3 a 0 para o Pelotas, ele acabou sendo demitido pelo clube gaúcho, no dia 1º de outubro.

Detalhes, como a data de chegada do novo comandante do Galo à Campo Grande, além de posíveis outros integrantes contratados para a comissão técnica e reforços para a disputa da temporada 2019 pelo Galo não foram revelados pelo vice-presidente alvinegro no áudio. No site e mídias oficiais do clube, o anúncio ainda não foi realizado oficialmente.

Como jogador

Cria do Esportivo de Bento Gonçalves (RS), Arilson foi logo cedo para a base do Grêmio e, lá, incorporado ao time principal tricolor por Felipão, conquistando pelo clube a Libertadores de 1995 ao lado dos hoje também treinadores Adilson Batista, Roger Machado e Francisco Arce, além de Darlei, Rivarola, Paulo Nunes, Carlos Miguel e Jardel.

Na final do Mundial, acabou sendo derrotado pelo Ajax, que tinha nomes como Van der Saar, Frank de Boer, Davids, Kluivert, Overmars e Kanu, além do técnico Louis Van Gaal. Em 1996, poderia ter tido uma "revanche" contra o nigeriano Kanu nos Jogos Olímpicos, porém protagonizou uma bizarra fuga da concentração e foi cortado por Zagallo do elenco que ficou com o bronze.

Arilson também é um dos poucos atletas que defendeu a dupla GreNal, já que jogou pelo Internacional pouco depois de atuar pelo tricolor gaúcho. Ele também fez parte do Palmeiras em 1998, reencontrando Felipão, além de outros clubes, como o alemão Kaiserlautern e o espanhol Valladolid.

A carreira dentro das quatro linhas de Arilson foi encurtada por causa dos excessos cometidos fora de campo, já que era conhecido como um jogador talentoso, porém boêmio. Mais velho e experiente, em várias entrevistas o ex-atleta confessou se arrepender de diversas situações criadas.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.