Ads Top

Copa do Brasil: Carijó teve o 9º melhor público pagante da 1ª fase, mas renda é apenas a 24ª

A torcida sul-mato-grossense compareceu aos estádios para os jogos da primeira fase da Copa do Brasil, que culminou na eliminação de Corumbaense (empate em 0 a 0 com o Luverdense-MT) e Operário (goleada por 4 a 1 com o Botafogo-PB). O Carijó pantaneiro ficou entre os 10 times que mais levaram público pagante, porém, a renda bruta ficou bastante aquém.

Torcedores colados no alambrado do Arthur Marinho
(Foto: MS Esporte Clube/Nyelder Rodrigues)
De acordo com as informações publicadas nos borderôs pelos clubes e pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), compilados pelo site de estatísticas Sr. Goool, o Corumbaense ficou em 9º, com 2.843 torcedores pagantes no estádio Arthur Marinho.

Contudo, a renda da partida foi de R$ 31.250, apenas a 24ª renda da competição, que contou com 40 partidas. Tais números que apontam que o valor médio cobrado pelo Corumbaense no ingresso foi bastante inferior ao dos demais jogos, o valor de R$ 10,99.

Pelo Estadual, no único duelo realizado em casa antes da Copa do Brasil, a vitória por 4 a 1 contra o Costa Rica, o valor médio do ingresso ficou em R$ 11,26, com 683 pagantes. Já no duelo após a eliminação, a vitória por 2 a 0 contra o Novo, o público pagante foi de 516, cobrando em média R$ 9,94 pelo ingresso no estádio Arthur Marinho.

Operário arrecadou mais, mas levou menos pagantes

Uma semana depois do duelo entre Corumbaense e Luverdense, foi a vez do Operário jogar pela Copa do Brasil, recebendo no Morenão o Botafogo-PB. O duelo levou o público pagante de 2.185 torcedores, conforme o borderô. O número é o 14º melhor dessa primeira fase, posição que se repete também no quesito arrecadação bruta com a bilheteria.

Até agora, público contra o Belo foi o maior do Galo em 2019
(Foto: MS Esporte Clube/Nyelder Rodrigues)
Diferente do que ocorreu com o rival de Corumbá, o Galo teve também a 14ª melhor renda dessa primeira fase, somando R$ 46.635. Ou seja, mesmo levando 658 pagantes a menos para o estádio, o Operário conseguiu R$ 15.385 a mais de renda. Assim, o preço média do bilhete ficou em R$ 21,34, praticamente o dobro do cobrado pelo Carijó uma semana antes.

No Estadual, onde o Galo já disputou três jogos em casa, a média de público pagante do Operário é praticamente o dobro da do Corumbaense, com 1.319 torcedores, chegando a média de renda bruta de R$ 23.658,33. O preço médio do ingresso fica em R$ 17,94.

Outros duelos na Copa do Brasil

O duelo entre Ferroviário-CE e Corinthians foi realizado no Estádio do Café, em Londrina, e foi o de maior público pagante e renda bruta obtida. Ao todo, foram 19.316 torcedores e R$ 897.340 arrecadados. No ranking de público, aparece em segundo Imperatriz-MA x Náutico (6.522), seguido por Central-PE x Ceará (5.421), River-PI x Fluminense (4.217) e Altos-PI x Santos (4.007).

Já no ranking de renda bruta, o segundo colocado foi o confronto entre Juazeirense-BA e Vasco, com R$ 320,7 mil - o público foi o sexto, 3.682 torcedores. Central x Ceará, com R$ 159.495, e River x Flu, com R$ 129.760, completam o top 4. O quinta maior arrecadação total, sem os descontos de impostos e gastos do evento, foi obtida no jogo entre Bragantino-PA e ASA: R$ 122.620.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.