Ads Top

E a história se repete: Timão de Carille chega mal ao dérbi, mas bate Palmeiras e se reergue

A tese que a história é cíclica e os eventos se repetem, com novos elementos, mas sempre em conjunturas semelhantes, é algo bastante aceito por entusiastas e estudiosos das humanidades. E no futebol, vemos no dérbi paulista a prova empírica disso: Corinthians chega em baixa, após maus resultados, enquanto o Palmeiras chega em alta, com desempenhos elogiáveis.

Disputa de bola entre o lateral Fagner e atacate Dudu
(Foto: Cesar Greco//Divulgação)
E nesse cenário acontece sempre o que, para os mais ingênuos, é tido com o improvável: vitória corintiana. Foi assim durante todo o ano de 2017, quando Fábio Carille foi campeão paulista e do Brasileirão com o Timão, e também no primeiro semestre do treinador no comando alvinegro em 2018, quando venceu o Paulistão pela segunda vez.

Agora, retornando ao time que o projetou para o futebol, não foi diferente. Com um futebol que fez o seu papel no primeiro tempo, marcando o gol da vitória com o contestado lateral esquerdo Danilo Avelar e um desempenho apático no segundo tempo, mas de pouca concessão de espaços para o adversário, o Corinthians arranca três pontos fora de casa, e em um clássico.

A segunda vitória corintiana na competição em 2019 foi também a primeira derrota palmeirense. Líder do Grupo B, o Palmeiras soma 10 pontos e pode perder a ponta para o Novorizontino, que ainda joga na rodada. Já o Corinthians chegou a sete pontos e segue na vice-liderança do Grupo C, atrás da Ferroviária, que tem os mesmos sete pontos e ainda jogam.

O jogo

O Corinthians precisou de apenas sete minutos para abrir o placar no Allianz Parque. No primeiro ataque, Bruno Henrique fez a falta em Matheus Vital na intermediária e na cobrança Sornoza jogou na cabeça de Gustavo, que testou firme. O goleiro Weverton até conseguiu defender, mas no rebote Danilo Avelar completou para o fundo das redes.

A resposta do Palmeiras veio logo em seguida, com Lucas Lima desarmando Manoel, levando até a linha de fundo e cruzando para o meio, Carlos Eduardo foi travado e a bola sobrou para Dudu, que mandou na trave de Cássio. Com a vantagem, o Corinthians adotou uma postura defensiva, aguardando um vacilo do rival para armar o contra-ataque. 

Borja teve a oportunidade de deixar tudo igual aos 30 minutos, após um cruzamento forte de Dudu pela direita, mas o atacante colombiano pegou mal na bola e mandou para fora. Outro que desperdiçou uma oportunidade na linha da pequena área foi Carlos Eduardo, que recebeu pelo alto de Mayke e testou pela linha de fundo. 

Felipão sentiu que o time precisava de mudanças e mandou Felipe Pires no lugar de Carlos Eduardo para o segundo tempo. Aos 14, a torcida palmeirense comemorou quando Deyverson foi chamado para entrar na vaga de Borja, empolgando a arquibancada.

Com a bola rolando, o time da casa cresceu de produção na etapa final e passou a controlar ainda mais a partida, mantendo a posse no campo ofensivo, mas não conseguindo levar perigo ao goleiro Cássio. O Palmeiras rodava a área, trabalhava bastante, trocava passes, mas não encontrava espaço na marcação do Corinthians, bem executada pelos comandado de Carille. 

A primeira finalização do time visitante na segunda etapa, saiu apenas aos 33 minutos, em cobrança de falta de Sornoza, que exigiu uma boa defesa de Weverton. Já na reta final do jogo a temperatura subiu, Deyverson tentou puxar um contra-ataque e acabou derrubado por Henrique. O árbitro deu amarelo para o zagueiro, mas o adversário seguiu no chão. 

Pouco tempo depois, o atacante do Palmeiras se desentendeu com o volante Richard foi expulso aos 42 minutos. Apesar dos cinco minutos de acréscimos, o Corinthians manteve a marcação e segurou o resultado positivo. O Timão só volta a campo pelo Paulista no próximo domingo (10), fora de casa, contra o Novorizontino, enquanto o Verdão joga na data seguinte (11) contra o Bragantino. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.