Ads Top

Com Rodrigo e Eduardo Arroz liberados, Galo terá que quebrar tabu contra o Azulão no Morenão

Um tabu terá que ser quebrado neste sábado (30) para que o Operário chegue à semifinal do Estadual 2019: vencer o Aquidauanense em Campo Grande. A última vez que isso aconteceu foi em 10 de abril de 2011, pela 5ª rodada do campeonato daquele ano. A partida aconteceu no Morenão e terminou em 3 a 2 para o Galo, que ao final da competição foi rebaixado.

Galo precisa quebrar tabu na Capital (Foto: Franz Mendes)
Desde então, o Operário enfrentou o Azulão outras sete vezes, sendo três delas como mandante. Em 2015, na primeira fase da Série B do Estadual, empatou em 1 a 1 no estádio das Moreninhas. No mesmo ano, já no quadrangular final, venceu por 3 a 0, mas o duelo aconteceu em Rio Brilhante.

Os times voltaram a se enfrentar apenas neste ano, em duelo que terminou em 1 a 1 no Morenão, na primeira fase, em que o Operário enfrentou muitas dificuldades e o Aquidauanense foi melhor, inclusive, pressionando os donos da casa no fim do jogo.

Em Aquidauana, o Azulão foi soberano nessa década: quatro jogos, quatro vitórias, 10 gols marcados e apenas dois sofridos. Já o Operário, como mandante, marcou oito vezes, mas sofreu quatro gols, vencendo duas e empatando outras duas. Hoje, apenas a vitória interessa ao alvinegro, já que os visitantes reverteram a vantagem do empate ao vencerem por 1 a 0 o duelo de ida.

Para tentar conquistar a vaga, o técnico Arilson Costa terá novamente a disposição a dupla Rodrigo e Eduardo Arroz, que ficaram fora do último jogo por lesão, segundo informou o próprio clube. O zagueiro é o capitão do time, enquanto o volante de 38 anos, até aqui, teve mais destaque pela confusão com o meia Eduardo Sapinho, na derrota por 3 a 0 para o Águia Negra.

Histórico

No retrospecto geral, são 24 jogos entre os clubes, com 17 vitórias do Operário, quatro do Aquidauanense e três empates. Em três oportunidades, o Galo precisou reverter desvantagem e em duas vezes conseguiu. Em 2017 contra o Sete de Dourados, na disputa de terceiro lugar do Estadual, havia perdido por 3 a 2 em Dourados, mas conquistou a vaga vencendo por 2 a 1 no Morenão.

Na temporada passada, o time foi derrotado pelo Corumbaense no jogo de ida da final, por 1 a 0, e com uma vitória pelo mesmo placar no duelo de volta, no Morenão, acabou com fila de 21 anos sem título do clube. O autor do gol foi o zagueiro André Paulino, que retornou ao clube em 2019.

Apita o jogo Paulo Henrique Salmázio, que será auxiliado por Eduardo Gonçalves da Cruz e Sérgio Alexandre da Silva. Everton Moreira Prates será o quarto árbitro. O vencedor deste confronto enfrenta o classificado de Comercial x Corumbaense, que jogam domingo. Além deste jogo, o Sete pega o Costa Rica e o Águia Negra recebe a Serc.

Reformas no entorno do Morenão

Sem prévio aviso aos clubes e a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) iniciou obras nas vias do entorno do estádio Morenão, fechando o fluxo de veículo e até pedestres ali. Assim, foi criado um esquema especial de segurança para evitar contratempos na chegada dos torcedores neste fim de semana.

Tanto no jogo entre Operário e Aquidauanense, como no confronto entre Comercial e Corumbaense, os torcedores poderão ir com veículos apenas até a rotatória após o viaduto, tendo que dali continuarem à pé. A torcida mandante terá que contornar o estádio, no sentido ginásio Moreninho, para conseguir chegar a bilheteria, em esquema semelhante ao feito no Comerário.

Além disso, o acesso as rampas que vão para as cadeiras está restrito a membros da imprensa e outros funcionários que trabalharão na partida. Os torcedores que compraram ingressos para as cadeiras deverão procurar as bilheterias para trocar os bilhetes por entradas para a arquibancada.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.