Morre Coutinho, atacante de Santos e da Seleção Brasileira na Copa de 1962

Morreu na noite desta segunda-feira (11) o ex-atacante Coutinho, campeão do mundo pela Seleção Brasileira em 1962, no Chile, e histórico parceiro de ataque de Pelé no Santos que fez história durante os anos 60. Natural de Piracicaba, ele faleceu aos 75 anos em Santos, no litoral paulista. Como treinador, ele chegou a passar por MS, dirigindo Comercial, Taveirópolis e Aquidauana.

Foto: Acervo CBF
Considerado um dos grandes gênios da pequena área, ele foi convocado para a Seleção Brasileira pela primeira vez aos 16 anos. Ao todo, disputou 15 jogos, venceu 11, empatou um e teve apenas três derrotas com a Amarelinha. Coutinho ainda balançou as redes em seis oportunidades pelo Brasil.

Além da Copa do Mundo de 1962, o atacante também esteve presente nas conquistas da Taça do Atlântico (1960), a Taça Bernardo O'Higgins (1961), duas taças Oswaldo Cruz (1961 e 1962) e Copa Rocca (1963). Em 62, só não foi o titular da Seleção devido a uma lesão.

Em clubes, Coutinho escreveu a maior parte da sua história no Santos Futebol Clube. Ao lado de Dorval, Mengálvio, Pelé e Pepe, ele fez parte de um dos ataques mais famosos do mundo e conquistou mais de 20 títulos entre 1956 e 1967, dentre eles cinco Campeonatos Brasileiros, duas Libertadores da América e dois Mundiais.

Pelo alvinegro praiano foram 457 partidas e 368 gols marcados, se tornando o terceiro maior artilheiro da história do clube, atrás apenas de Pelé e Pepe. Contudo, em termos de proporções jogos/gols, ele tem média superior a de Pepe. Até o mais jovem profissional do Santos (14 anos), por problemas de manutenção de peso Coutinho precisou abandonou a carreira precocemente.

Relacionadas

Postar um comentário

Receba nossas novidades