Comissão da Fifa bane para sempre do futebol ex-presidente da CBF que recebeu propina

A câmara julgadora do Comitê de Ética independente da Fifa considerou José Maria Marin, ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e ex-membro de vários comitês da Fifa, culpado no caso em que foi acusado de suborno, em violação ao Código de Ética da entidade.

Divulgação
A investigação sobre Marin relacionou-se a vários esquemas de propinas, em particular durante o período de 2012 a 2015, quanto ao seu papel na concessão de contratos para empresas para a mídia e direitos de marketing para competições da Conmebol, Concacaf e CBF.

Em sua decisão, a câmara descobriu que Marin havia violado o art. 27 (Suborno) do Código de Ética da Fifa, como resultado, banindo o dirigente por toda a vida de todas as atividades relacionadas ao futebol, sejam elas administrativas, esportivas ou qualquer outra, em nível nacional e internacional.

Além disso, uma multa no valor de 1 milhão de francos suíços foi imposta à Marin. Convertendo em reais, o valor fica na casa dos R$ 3,86 milhões. A decisão foi notificada à Marin hoje, data em que a proibição entra em vigor. Atualmente, Marin cumpre pena de quatro anos nos Estados Unidos, onde foi julgado pelos mesmos fatos que o fizeram ser banido pelo Fifa do futebol.

Relacionadas

Postar um comentário

Receba nossas novidades