Ads Top

Corumbaense mantém Zé Humberto e quer corrigir rota no BR: 'não está tudo jogado fora'

A eliminação nas quartas de final do Estadual 2019 para o Comercial não mudou significativamente o planejamento para o ano no Corumbaense. Mesmo sem garantir a participação nas competições nacionais ano que vem, o Carijó continua com Zé Humberto no comando da equipe e busca reforços para a Série D, além de reposição de algumas peças que devem sair.

Imagem do Carijó perfilado durante o hino na Copa do Brasil
(Foto: MS Esporte Clube/Nyelder Rodrigues/Arquivo)
Classificado em quinto lugar na primeira fase, o alvinegro pantaneiro fez bons jogos em seus domínios, mas pecou fora de casa e venceu apenas um dos seis jogos realizados longe de Corumbá - o duelo contra o lanterna Operário de Dourados, que não venceu sequer um jogo no torneio.

Tais problemas ligaram o sinal de alerta de comissão técnica e diretores do Corumbaense ainda no Estadual, mas ainda assim o time não conseguiu evitar uma precoce queda nas quartas - no placar agregado empatou em 2 a 2 e, como ficou atrás na tabela, perdeu pelo critério de desempate.

"Primeiro esfriamos a cabela para tomar as decisões corretas, e depois passamos a ver onde acertamos e erramos. A tônica nossa no Estadual é que desperdiçamos várias oportunidades de gols. Jogar só bem e não concluir bem também não adianta", frisa o treinador.

Zé Humberto ainda diz que o time teve mais posse de bola nas partidas e também sempre se apresentou mais no comando das ações de jogo, mas não aproveitou as chances. "Pagamos o preço", destaca, completando que "fizemos um projeto, não está tudo jogado fora. Temos que repensar onde acertamos e erramos, e corrigir", conclui.

Dispensa e contratações

Por ora, o clube não fala em contratações, mas conforme apurado pela reportagem, um dos atletas pretendidos é Otacílio Neto, meia-atacante ex- Corinthians e que se destacou mais uma vez com a camisa do Sete. Ele também estaria na mira do Operário para a Série D. A expectativa é que, após a final do Estadual, os dois clubes passem a disputar mais atletas que jogaram o campeonato.

Três jogadores já foram liberados - mas a saída ainda não foi publicada no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF. Aleksandro, Franklin e Lika (Elivelton) acertaram com clubes fora do MS. Quem também saiu foi o preparador físico Paulo Muller, que não aceitou uma redução salarial de 30%. Outros atletas podem sair por também não aceitar tal redução.

O primeiro adversário do Carijó na competição nacional será o Palmas (TO), no estádio Arthur Marinho. Os dois clubes estão no grupo A10, que também conta com Iporá (GO) e Sinop (MT). A competição reúne 68 clubes distribuídos em 17 grupos.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.