'Depende deles', diz governador sobre parceria com a UFMS para reformar o estádio Morenão

A reforma do estádio Morenão é uma demanda antiga de quem sonha com um local em melhores condições para jogos de futebol, seja regional ou mesmo nacional, e uma nova opção para realizar eventos diversos em Campo Grande, a ponto virar proposta de campanha de Rose Modesto, então vice-governadora, nas eleições para a prefeitura em 2016.

Foto: Arquivo/Divulgação
Porém, mesmo com a derrota nas urnas, promessas foram feitas pelo Governo do Estado e cumpridas parcialmente. Com o apoio do governador Reinaldo Azambuja, foi realizada uma rápida obra no Morenão em 2016, o liberando em 2017 e para os dois campeonatos seguintes.

Só que, desde então, nada mais foi realizado. A parceria entre Estado e UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), fundamental para concluir a reforma de revitalização do estádio, emperrou e colocou em xeque as obras e um possível convênio entre as partes.

"Isso aí está dependendo do reitor e da UFMS. Fizemos uma proposta dentro do que o Estado pode, somos parceiros da UFMS, mas a decisão é deles. Para investir o dinheiro, eles teriam que ceder espaço para utilizarmos o Morenão em algumas ações do Governo do Estado", frisa Reinaldo. O valor disponível nos cofres para reformar o Morenão é de R$ 3 milhões.

O governador ainda complementa que o reitor ficou de discutir com a procuradoria a situação, mas ainda não houve retorno. "O Governo segue aberto para essa discussão. Temos total interesse de juntos, universidade federal, Governo e a prefeitura, poder trabalhar na revitalização do Morenão", concluiu Reinaldo, durante o lançamento da Copa Campo Grande de Futebol Amador.

Morenão em obras

Atualmente, o entorno do estádio Morenão está em obras, mas nenhuma delas vai atender a revitalização necessária para que o Ministério Público libere o local, sem restrições, para eventos esportivos de caráter profissional. A reforma atual visa a construção de sistema de captação de águas pluviais e passagem subterrânea de cabos de fibra óptica.

Essas obras começaram a ser feitas sem prévio aviso aos clubes e Federação e, inclusive, levaram ao risco de realização de partidas sem torcida nas quartas de final e semifinal do Estadual, algo contornado pelas partes. Contudo, o acesso às cadeiras teve que ser fechado.

O foco da reforma é atender um dos maiores eventos científicos da América Latina, a 71ª edição da Reunião Anual da SPBC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) 2019, que ocorrerá entre os dias 21 e 27 de julho deste ano. Uma exposição será realizada no Morenão, o que poderá danificar o gramado - deixando claro que o futebol é preocupação menor da administração do estádio.

Relacionadas

Postar um comentário

Receba nossas novidades