Ads Top

É mole? Polícia prende dupla e um segue foragido por falsificar ingressos da final do Estadual

Quando pensamos que já vimos de tudo, aparece essa: falsificação de ingressos da final do Estadual 2019. O duelo decisivo acontece no domingo (21), a partir das 15h, no estádio Ninho da Águia, em Rio Brilhante. O time da casa, o Águia Negra, venceu o confronto de ida por 2 a 1 e pode no fim de semana perder por até um gol de diferença para levantar o caneco diante do Aquidauanense.

Foto: Divulgação
A situação foi revelado segunda (15) pelo presidente do clube, Iliê Vidal, que também é vereador, em sessão da Câmara Municipal de Rio Brilhante. A falsificação obrigou que fosse paralisado parcialmente a venda de ingressos, que custam R$ 20 - os falsos eram vendidos pela metade do valor.

Já ontem (16), a Polícia Civil de Rio Brilhante descobriu como funcionava o esquema de impressão e venda de ingressos falsos e prendeu dois envolvidos. O terceiro ainda está foragido. Segundo a investigação, os bilhetes falsos eram impressos na mesma gráfica onde eram produzidos os originais.

Marcos César da Silva Matos, de 49 anos, se aproveitava por ser funcionário da gráfica e também produzia por conta própria ingressos para comercialização, segundo indica a Polícia Civil. Os bilhetes falsos eram levados para a barbearia de Aníbal Ferreira Júnior, de 28 anos. A polícia ainda está à procura de Marcos Vinicius da Silva Matos, filho de Marcos César.

Segundo o delegado Alexandre Neves da Silva Júnior, um dos fatores que chamou a atenção da polícia foi à numeração dos ingressos falsos. Se o clube solicitava carga de 2 mil bilhetes, Marcos César produzia ingressos com numeração em sequência a partir de 2 mil.

Marcos César e Aníbal foram presos na tarde desta terça-feira e devem ser encaminhados ao presídio do município. Os três deverão responder por estelionato e associação criminosa. Segundo a polícia, o esquema funcionava desde o início do Estadual. Pelo menos 10 ingressos falsos foram recuperados de uma carga de 100 produzidos somente para a final.

Em depoimento, Marcos César confessou os crimes. Já Aníbal confessou que recebia os ingressos na barbearia, mas disse que não sabia que seriam falsos. Segundo a polícia, o dono da gráfica também será ouvido, mas não como investigado, descartando qualquer participação no esquema.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.