Mesmo com derrota, Águia Negra faz jus ao favoritismo e conquista o Estadual do MS pela 3ª vez

O Águia Negra não decepcionou a torcida e conquistou em casa o seu terceiro título sul-mato-grossense, empatando com o histórico Ubiratan e sendo o maior vencedor do Interior ainda em atividade. A conquista deste domingo (21) veio 12 anos após a primeira, em 2007, sob o comando de Elói Kruger. Em 2012, ano do segundo título, o treinador era Claudio Roberto.

Atletas posam com o troféu de campeão (Foto: Noe Faria)
Já em 2019, o comandante do rubro-negro rio-brilhantense foi Rodrigo Cascca, treinador com bons trabalhos no sul do país e que chegou este ano para continuar um trabalho já iniciado em 2018, com Virgílio Ferreira - que neste ano assumiu como gerente de futebol.

Diante de 4.597 torcedores, sendo 3.025 pagantes (a renda bruta foi de R$ 38.970), o Águia Negra estava confiante no título, já que podia perder por até um gol de diferença - no jogo de ida, em Aquidauana, o time venceu de virada por 2 a 1.

Com a vantagem do empate no resultado agregado, o rubro-negro já tinha deixado tudo pronto, tanto que para a final, praticamente dobrou a capacidade do estádio, que é de 2.430 torcedores. Para conseguir isso, foram instaladas arquibancadas móveis atrás de um dos gols. No primeiro tempo, o time fez jus à festa e pressão da torcida, chegando à frente do gol várias vezes.

Entretanto, o goleiro do Aquidauanense, Diego, apareceu bem em todas elas, fazendo defesas providenciais e evitando que os donos da casa saíssem marcassem o gol que deixaria as coisas ainda mais difíceis. O trio Salomão, Guilherme e Kareca encontraram muitos espaços e quase não erraram na criação, diminuindo as chances de contra-ataques do adversário.

Salomão foi premiado como o artilheiro. Ele fez 10 gols
 (Foto: Noe Faria)
Já na etapa final, a partida mudou totalmente. O Aquidauanense voltou melhor e dominou logo de cara. Com dois minutos de bola rolando, o goleiro Filipe falhou e a bola ficou viva na grande área, até cair nos pés de Agnaldo. O camisa 10 do Azulão avançou com liberdade pela direita e, frente a frente com Filipe, bateu rasteiro e no canto, sem chances de defesa.

Apesar da desvantagem, o placar ainda dava o título ao Águia, que tentava sair jogando, mas esbarrou em muitos erros de passe e finalizações precipitadas. Enquanto isso, os visitantes continuavam pressionando na frente, mas não o suficiente para marcar o segundo gol que confirmaria a vitória e também o título para o Aquidauanense - na fase de grupos, o time venceu por 2 a 1.

Perto dos 40 minutos, o artilheiro rubro-negro Salomão e Gibran, que entrou no segundo tempo pelo Azulão, foram expulsos diretamente pelo árbitro Marcos Mateus após um desentendimento no ataque do Aquidauanense. A bandeirinha Daiane Muniz precisou separar os dois. Vale ressaltar que Mateus e os assistentes fizeram arbitragem segura e sem problemas.

"Decisão sempre é complicada. A gente fugiu muito a nossa característica, muito lançamento, muita bola longa. Preparamos uma volta para o segundo e não deu certo, levamos um gol muito cedo. Aí é natural que você vá sofrer", frisa o treinador Rodrigo Cascca, que ao comentar sobre o seu futuro, confirmou apenas que houve sondagem do Operário com a diretoria do Águia Negra.

O presidente Iliê Vidal também comentou sobre o jogo e falou sobre a desejo de contar com Cascca para a temporada 2020, elogiando a forma como ele treinou o time e soube modificar a equipe durante as partidas quando precisou. Ele também confirmou a procura do Galo por atletas do Águia para a Série D, como é o caso de Guilherme. "A conversa vai ser a partir de segunda", conclui.

Fora dos campos e estatísticas

Jogo foi bastante agitado e pegado (Foto: Noe Faria)
Antes do jogo, uma forte chuva atingiu Rio Brilhante, derrubando sobre a rede de baixa tensão um alambrado que fica sobre o muro atrás de um dos gols. A queda derrubou a rede elétrica de uma parte do estádio, mas o problema foi logo sanado pelo clube e pela prefeitura, que forneceram às equipes de imprensa que estavam naquele setor um gerador durante toda a partida.

Logo que a partida acabou, a torcida entrou em campo e tomou o gramado para comemorar junto ao clube mais um título. Na saída do estádio, houve ainda uma pequena carreata com os atletas. A festa seguiu até a Praça Central da cidade. Apenas uma confusão foi registrada. Infelizmente, o ex-jogador Renan Cordeiro morreu em acidente de moto logo depois da comemoração.

O Águia Negra se sagrou campeão com 35 pontos no total ,tendo a melhor campanha e obtendo ainda o melhor ataque, com 35 gols, e a melhor defesa, com 15 sofridos. Tanto Águia quanto Azulão estão classificados para as competições nacionais de 2020, a Copa do Brasil (que vale cota, só por entrar em campo na primeira fase, de cerca de R$ 500 mil) e o Campeonato Brasileiro- Série D.

Relacionadas

Postar um comentário

Receba nossas novidades