Pela 1ª vez na história, Brasil tem 7 atletas na chave principal de um Mundial de Tênis de Mesa

O Campeonato Mundial de Tênis de Mesa já tem contornos históricos para o Brasil antes mesmo de a chave principal individual ter início em Budapeste, na Hungria. De forma inédita, a Seleção Brasileira conseguiu classificar sete atletas para o grupo dos 128 melhores.

Os cinco integrantes da equipe masculina e dois das três atletas no feminino estão no seleto grupo. Vitor Ishiy e Thiago Monteiro passaram com sobras pela fase de grupos, assim como Lin Gui.  Eles se unem a Hugo Calderano (sétimo do mundo), Gustavo Tsuboi (número 40), Eric Jouti (74) e Bruna Takahashi (64), que já estavam classificados por ranking.

Victor Ishiy passou pela fase de grupos do Mundial
(Foto: Abelardo Mendes Jr./rededoesporte.gov.br)
Todos aguardam o sorteio, no fim desta tarde na Hungria, para conhecer os adversários da estreia nos duelos eliminatórios a partir desta terça (22.04) nas duas arenas montadas no Hungexpo.

"Com certeza ter os cinco atletas do masculino na chave principal é muito importante porque é extremamente difícil. São poucos os países com essa capacidade. Agora vamos para a segunda etapa e tentar avançar o máximo", afirmou o técnico da seleção brasileira masculina, Francisco Arado, o Paco.

"É bom passar pela fase de grupos com duas vitórias. Agora vou enfrentar adversários que têm ranking melhor que eu. Vou ter de surpreender e impor meu jogo. O tênis de mesa brasileiro evoluiu. Antes a gente queria muito conseguir classificar alguém na chave principal. Hoje temos cinco dentro só no masculino. Para frente, é imaginar cada vez mais brasileiros nas fases mais à frente", afirmou Vitor Ishiy, número 126 do mundo, que garantiu a vaga após superar Abiodun Lawal, da República do Congo, por 4 sets a 0 (11/6, 11/2, 11/6 e 11/3). No dia anterior, ele já havia superado o neozelandês Nathan Xu por 4 sets a 1, com parciais de 11/3, 11/6, 10/12, 11/8 e 11/8.

O cearense Thiago Monteiro (91) cumpriu seus dois compromissos nas preliminares em Budapeste sem conceder sequer uma parcial aos dois adversários que enfrentou. Primeiro, deixou para trás Haitham Al-Mandhari, de Omã (11/5, 11/6, 11/1 e 11/4). Nesta segunda-feira, teve mais de trabalho diante do lituano Alfredas Udra, mas soube ter precisão e controle nos pontos mais decisivos de cada set, e assim fechou em 11/8, 12/10, 11/9 e 11/7.

Faltou algo

No feminino, Bruna Takahashi, número 64 do ranking mundial, já chegou a Budapeste com vaga na chave principal. Suas colegas de equipe tiveram que passar pelo qualifying. Lin Gui (99) venceu as duas partidas que disputou, diante da grega Maria Christoforaki por 4 sets a 1 e, nesta segunda-feira, superou a mongol Bolor-Erdene Batmunkh por 4 sets a 0 (11/4, 11/3, 11/9 e 12/10). "Estou feliz por ter conseguido fazer o que eu tinha imaginado e chegar à chave principal", afirmou Lin Gui.

Jessica Yamada, por sua vez, teve uma parada dura na última rodada do qualifying. Ela enfrentou Hsing-yin Liu, de China Taipei, e acabou derrotada por 4 sets a 0 (11/9, 11/8, 11/4 e 11/8). Com o resultado, está fora da disputa individual. O revés de Jessica foi primeira derrota brasileira nos primeiros 11 jogos disputados na Hungria.

Investimento

Os sete que seguem na competição individual são integrantes do programa Bolsa Atleta, da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. O investimento federal no grupo é estimado em R$ 274 mil por ano.

No ciclo olímpico atual rumo aos Jogos de Tóquio, o tênis de mesa já teve 395 atletas contemplados pelo programa, com R$ 5,6 milhões em investimentos. Atualmente, há 247 inscritos, com 125 atletas olímpicos, 112 paralímpicos e outros dez no Bolsa Pódio (Calderano e nove esportistas paralímpicos).

Relacionadas

Postar um comentário

Receba nossas novidades