Ads Top

TV Morena se despede do Sul-mato-grossense e frusta clubes que queriam aumento de cota

Caboclo bom ou ruim? - Rogério Caboclo tomará posse como o novo presidente da CBF, cargo que exercerá por quatro anos, nesta terça-feira (9), sob muitas expectativas. O momento é de mudanças em várias áreas do país e, no futebol, acredita-se que Caboclo promoverá o mesmo. O foco principal está no calendário e no que vai acontecer com os estaduais, colocados em xeque há anos.

Segue o jogo - Já em MS, as regras e peças continuam as mesmas. Reeleito ano passado para seus últimos quatro anos à frente da FFMS (ao menos que a lei mude, é isso!), Francisco Cezário tomará posse no próximo dia 30, ao lado de seu fiel escudeiro Jamiro Rodrigues, além de Alfredo Zamlutti, Estevão Petrallás, Américo Ferreira, Marco Tavares, entre outros vices.

Me dá dinheiro aí - Faltando dois anos para o fim do contrato com a TV Morena, vários dirigentes de clubes, que sucederam os que assinaram o acordo de cinco anos, passaram a reclamar do baixo valor oferecido. Mesmo sem razão alguma, a cartolagem infla o peito e aproveita o espaço aberto na imprensa para reclamar, sem contestação alguma.

Em pé, Cezário, e sentado, no centro da mesa, Nicomedes
Silva Filho, diretor-executivo da TV Morena
(Foto: Deurico Ramos/Capital News/Arquivo)
Despedida - Porém, o plano dos dirigentes podem ir por água abaixo. Além de não ganharem um centavo a mais, podem é ficar sem o dinheiro extra. Nos corredores da emissora, a informação que a transmissão dos dois próximos estaduais serão abdicados já é tida certa - o que vai de encontro com declarações do presidente do Athletico-PR, que a Globo abandonará os estaduais.

Interessados - Desde novembro do ano passado, já apareceram interessados nos direitos de transmissão do Sul-mato-grossense. Entre eles está a estatal TVE Cultura, que irá este ano transmitir competições amadoras. Porém, o acordo com a FFMS e clubes não envolveria pagamento, sendo em caráter de parceria, assim como foi com a TV Morena nos primeiros cinco anos.

Como fica? - Concretizada a batida em retirada da "plim-plim" pantaneira, ainda assim ela segue dona dos direitos exclusivos até 2021 e, até lá, teria que ser consultada sobre outras parcerias, podendo inclusive vetá-las nesse período. Contrato é para ser cumprido. Se for descumprido, multa de R$ 50 mil para dos envolvidos. "Dura lex, sed lex", diriam os juristas.

Quanta ganha seu time? - De uma vez por todas, para encerrar esse debate. TV Morena e FFMS não divulgam, mas o MS Esporte Clube já teve acesso aos termos do acordo e crava: o contrato prevê pagamento, entre 2017 e 2021, de R$ 1 milhão pelos direitos de transmissão.

Divisão - São R$ 200 mil anuais, sendo R$ 150 mil divididos entre os clubes, independente do número de participantes. Ou seja, com 12 equipes, o valor pago é de R$ 12,5 mil. Com 10, o valor sobe para R$ 15 mil. A divisão é realizada pela FFMS. Os R$ 50 mil restantes deve ser destinado como premiação ao campeão e vice, segundo o contrato.

Tombos que levo - A mania regional é contar os tombos que leva, mas "esquecer" das pingas tomadas antes disso. Há dirigentes que afirmam que nunca receberam premiação alguma, mas esquecem de avisar que também ficaram em dívida com o presidente da FFMS e, por isso, o valor é devidamente descontado, sem eira nem beira. "Não existe almoço grátis", certo?

Sem presidente - As dificuldades financeiras do Comercial já são mais que conhecidas, e são justamente esses problemas que contribuíram para o elenco se unir ainda mais. E nesse turbilhão, o presidente Valter Mangini virou figura ilustrativa para os jogadores. Líder da equipe, o goleiro Rodolfo não tem papas na língua para defenestrar o cartola nos microfones.

Sem presidente 2 - "Se não fosse o seu Claudio [Claudio Barbosa, empresário do ramo da construção civil e diretor da equipe que, nos jogos, está relacionado também como auxiliar técnico] estaríamos pior ainda. Devemos muito a ele", dispara Rodolfo. Mangini, por sua vez, não responde ao atleta, mas ameaçou processar um jornalista que fez matéria sobre a situação.

Cheirinho de gafe - A apresentadora do MSTV 1ª edição, Bruna Mendes, cometeu uma pequena, mas engraçada gafe no programa do dia 20 de março ao chamar a dancinha do Nego Ney  de "dança do cheirinho", ao comentar as comemorações do atacante flamenguista Gabigol. Ela batia papo com o apresentador do Globo Esporte, Demetrius Garcia, e só assim chamou a dança ao acreditar na mensagem enviada por um telespectador pra lá de engraçadinho...

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.